Nessa vida, cadeia cíclica e fechada, surgem Radicais Livres que aprisionam o nosso carbono quaternário (o Coração), e impedem as Ligações Duplas, nos qualificando com funções (lineares ou exponenciais). São radicais livres presos. Nos condenam com alcunhas (seria eu um Éster, um Aldeído, ou seria eu um Disfuncional?) e logo partem as nossas cadeias, cravam as unhas em nossas veias e desaparecem! Parecem dedos histéricos, medos históricos... Afundam na memória para depois ressurgir: esse é o Ciclo Vital do Pânico-Orgânico Emocional. Seco, efêmero e saturado. Um anel benzênico representando a dupla alternância de Sentimento e Sensação.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

passatempo

eu, escrava da saudade,
escrevo é sempre tarde
que é quando eu te quero mais:
prum beijo e a mão pousada
sobre a sempre e sua e minha
na toalha da cozinha
- sobre o poro do meu pulso.
o relógio marca as horas
o horário é todo avulso
e a certeza não demora:
o tempo já passou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário