Nessa vida, cadeia cíclica e fechada, surgem Radicais Livres que aprisionam o nosso carbono quaternário (o Coração), e impedem as Ligações Duplas, nos qualificando com funções (lineares ou exponenciais). São radicais livres presos. Nos condenam com alcunhas (seria eu um Éster, um Aldeído, ou seria eu um Disfuncional?) e logo partem as nossas cadeias, cravam as unhas em nossas veias e desaparecem! Parecem dedos histéricos, medos históricos... Afundam na memória para depois ressurgir: esse é o Ciclo Vital do Pânico-Orgânico Emocional. Seco, efêmero e saturado. Um anel benzênico representando a dupla alternância de Sentimento e Sensação.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Duas baratas tontas
pra tantas vontades cruas
- e o vento tá vendo tudo,
tecendo, mudo, o meu resfriado.

A África mora longe -
daqui o mar não me atinge
mas tinge de preto as ondas
por onde andas

E o corpo finge
findar-se
na ponta de um cachecol

Nenhum comentário:

Postar um comentário